São Paulo em 12 horas

sp-do-alto-3
São Paulo

Ouço comentários de muitas pessoas que já passaram por São Paulo, mas que não conhecem a cidade.

Nestes tempos de economia nos gastos, é possível encontrar boas alternativas dentro do nosso país para se fazer ótimos passeios, às vezes em locais que não considerávamos.

São Paulo é uma cidade para ser visitada várias vezes e sempre terá boas programações para se fazer, seja em férias, em um feriado, ou em outra oportunidade que surgir.

Quando fomos tirar o visto para ir aos Estados Unidos, optamos por fazê-lo em Sampa e assim nos programamos para passear um pouco por lá.

Este é o relato de 12 horas em São Paulo. Essa cidade cosmopolita oferece opções para todos os gostos, idades e bolsos.

Nosso vôo chegou antes das 8 da manhã, por Congonhas, e de lá pegamos um Uber para tomar um café da manhã na região do consulado americano.

O paulistano gosta muito de tomar um café na padaria ou em uma casa especializada. Não faltam opções em cada região da cidade. Basta pesquisar e se deliciar.

O local escolhido foi o Santo Grão – Morumbi (Condomínio Morumbi Corporate Towers – R. Henri Dunant, 1383 – 8/9).

Assim, aproveitamos para tomar um saboroso café, com acompanhamentos que fizeram nossa refeição favorita do dia super agradável.

img_20160816_095217422
Café Santo Grão
img_20160816_095042405
Opções para um café da manhã saudável no Santo Grão

Dali saímos a pé, rumo ao Consulado, chegando um pouco antes do horário marcado. Guardamos nossos pertencentes em um guarda-volumes quase em frente (a dica aqui é apreçar antes e não aceitar o primeiro serviço oferecido, pois há opções de guarda-volumes com diferentes). Permanecemos no Consultado das 10 da manhã ao meio-dia, até passar por todas as filas e entrevista.

Na saída, encontramos nossa preciosa amiga Mônica, que nos levou para almoçar em um restaurante próximo, o Garoa Paulistana (rua Cancioneiro Popular, 193). Local simples e de comida muito saborosa.

img_20160816_124153731
Almoço gostoso e farto no Garoa Paulistana

Dali ainda paramos no Mesa da Nena (Rua Dr. José Áureo Bustamante, 55 – Chácara Santo Antônio) para tomarmos um cafezinho com brigadeiro gourmet (como não tomar um café após o almoço em SP?!…).

img_20160816_131525417
Para acompanhar o cafezinho no Mesa da Nena

Nossa amiga, então, nos deixou no Shopping Morumbi, onde demos uma volta e depois encontramos com Beto, marido da Mônica. Ele estava trabalhando e iria visitar umas lojas no bairro Liberdade, então nos convidou para irmos juntos e conhecer a região.

Passamos na porta do Jardim Oriental, mas já estava perto do horário de fechamento. O local tem tudo para ser um ponto interessante, mas nos pareceu mal conservado.

img_20160816_154250111_hdr
Jardim Oriental – mal conservado (?)

Na região há varias lojas, com coisas típicas japonesas, mas também muitos produtos chineses. Experimentamos o delicioso picolé de melão coreano, e fomos até o local onde funciona a feirinha de domingo do Liberdade.

img_20160816_160340019
Ruas do Liberdade

Após o giro pelo bairro, nosso amigo nos deixou no Ibirapuera e, seguindo sua dica, fomos até os portões 3 e 4, onde há ponto para locação de bicicletas. Alugamos as bikes pelo valor de R$5,00 a hora, cada uma (ago/16), e demos voltas pelo famoso parque paulistano.

Estava entardecendo e rendeu belas imagens.

img_20160816_173407510

img_20160816_174925208

Quando devolvemos as bicicletas, vimos que ainda dava tempo de jantar e, com a ajuda do Tripadvisor, selecionamos uma pizzaria que ficava no caminho para o aeroporto Congonhas.

Chegamos no Quintal do Bráz (Bráz Quintal – R. Gandavo, 447 – Vila Clementino) e fomos prontamente atendidos, podendo saborear a famosa pizza paulistana. Só lamento não termos podido ficar mais, pois a casa é muito bonita, ambiente super agradável e ótimo atendimento.

img_20160816_192530439
Braz Quintal – ótima pizzaria

img_20160816_185842712

Enfim, estava na hora de ir para o aeroporto e retornar para Belo Horizonte.

Com bons amigos, disposição e usando as ferramentas da internet, dá para se aproveitar bem um local, mesmo não tendo muito tempo, e de forma econômica.

Depois desse relato espero ter despertado seu interesse para considerar São Paulo como um próximo destino.

Nosso agradecimento ao Beto, Mônica e Lucca, que fazem das nossas idas a SP sempre um momento de alegria e ótimas memórias. Amamos vocês!

Anúncios

3 thoughts on “São Paulo em 12 horas

  1. Aproveitei algumas dicas e ainda acrescento: utilizei o Uber Pool, compartilhado, ótimo preço e achei que valeu a pena, se o turista não tiver os horários apertados. Metrô também vale muito a pena : limpo, seguro e bem sinalizado. Avenida paulista fechada para o trânsito aos domingos, muito legal!! Todos passeando e se divertindo no parque Trianon. Valeu, Sampa!!

  2. Cada horinha que vocês passam aqui em SP, são especiais para nós também! Obrigada pela visita e a que veio depois, que também foi fantástica! Parabéns pelo blog.
    Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s